Rap e rock dão o tom do Polo Arraiá da Burra

Foto:Tiago Montenegro

Jovens músicos da cena underground de Arcoverde e região 
se apresentam até o domingo (26)

Todas as culturas cabem no São João de Arcoverde. Mais que o tema da festa deste ano, este é um desafio permanente, que está envolvendo artistas das mais diversas cenas da cidade, inclusive a galera do rap e do rock alternativo.

Na batalha por espaços onde possam divulgar suas composições autorais ou mesmo releituras de canções já consagradas do rock internacional, os jovens artistas da cena underground arcoverdense dominam, em mais um ciclo junino, o Polo Arraiá da Burra.

“A história desse polo começou ainda em 2004, após a formação de um conjunto de bandas na cidade que foram bastante influenciadas pelo manguebeat e que buscaram misturar elementos das nossas tradições com os da música universal”, explica Rodolfo Barreto. Um dos fundadores do Sistema Calango (movimento de resistência cultural surgido ainda no final da década de 1990), Rodolfo conta ainda que “o momento é de retomada, de juntar todo mundo que faz música hoje em Arcoverde e recuperar a força que já tivemos”.

Símbolo desta nova fase é o movimento “Reação Calango”, que agrega as oito bandas de metal, punk rock e metal industrial em atuação na cidade e que, mais recentemente, passou a contar com os MCs e grupos de rap, a expressão que mais tem crescido nos últimos anos, dentro deste cenário.

Formada em novembro de 2016, a “Cordel de Vagabundo” já é um dos destaques da cena local e assumiu a responsabilidade de fechar a noite do sábado (17), a primeira da história do polo dedicada exclusivamente ao rap. “É bem diferente trazer a cultura do hip hop, que vem da rua, para a cultura do São João, mas essa mistura é que é interessante”, avalia Pingo, um dos MCs da Cordel. Ao seu lado, Zord, parceiro de grupo, complementa: “Arcoverde tem artista bom em todas as vertentes, tem que acabar com o preconceito e abrir espaço pra todo mundo fazer sua arte”.

Com apenas 19 anos, Zord revela uma compreensão madura sobre a influência das expressões mais tradicionais do sertão em seu fazer artístico. “Cresci com a galera do punk rock – rock e rap juntos sempre – e mais raiz que o coco não tem! Um dia vou fazer uma música com o coco, quero essa energia incrível que é a cultura de Arcoverde... Máximo respeito aos mestres!”, revela.

Laranjão MC, nascido em Buíque, mas residente em Arcoverde há mais de dez anos, também se apresentou no polo underground, registrando que “a galera tá de parabéns, fortalecendo o estilo que tá crescendo na cidade, valorizando a união do pessoal que tá batalhando e que, agora, tá começando a colher os frutos”.

Quem desejar “colar” no rap durante o São João em Arcoverde terá uma nova oportunidade nos próximos dias 20, 21 e 22, quando o movimento realiza, com apoio da Prefeitura de Arcoverde, o POLO REP – Ritmo, Esperança e Poesia, na praça ao lado da Escola Carlos Rios. Estão programadas ações de poesia, graffitti, batalha de MCs e apresentações de TPR, Jurandex, Laranjão, FDR - ATP e Cordel de Vagabundo.

Já o Polo Arraiá da Burrá volta com o peso do rock a partir da sexta-feira, 23. Confira a programação:

Sexta-feira, 23/6
21h - B.C.R.
22h30 - Sistema de Protesto

Sábado, 24/6
20h - In Bloom 63
21h - Isotopia
22h30 - Irmandade Punk

Domingo, 25/6
20h - Valkyria
21h - Armaggedon
22h30 - Scream (Recife)

Tiago Montenegro


Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.