Frevo celebra 10 anos de Patrimônio Cultural


É pra comemorar! O Frevo, que contagia os brasileiros há gerações, completa este ano uma década como Patrimônio Cultural. Para celebrar os 10 anos do título, tem festa no Paço do Frevo, em Recife (PE), no próximo dia 09 de fevereiro, quando o Ministério da Cultura e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) entregarão uma placa em homenagem ao centro de referência de ações, projetos e atividades de documentação, transmissão, salvaguarda e valorização dessa importante expressão pernambucana e manifestação popular brasileira.

O reconhecimento integra a programação do quinto aniversário do Centro de Referência, espaço previsto como um dos sete eixos do plano de salvaguarda do Frevo, e que conta com o apoio do Iphan e do Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Nascido em 2012, o projeto é uma iniciativa da prefeitura do Recife, com realização da Fundação Roberto Marinho e gestão do Instituto de Desenvolvimento e Gestão - IDG.
As festividades também fazem parte das celebrações dos 80 anos de criação do Iphan que, na mesma data, lança a publicação Frevo, 14º Volume da Coleção Dossiê dos Bens Culturais. O livro, que apresenta o registro do Frevo, inscrito no Livro das Formas de Expressão em 2007, também será disponibilizado para download no portal do Iphan.

Patrimônio nacional e do mundo

A proposta para a criação do Paço surgiu ainda durante a instrução para o Registro do Frevo como Patrimônio Cultural, consolidando-se durante o I Encontro do Plano Integrado de Salvaguarda do Frevo, realizado no ano de 2011, e que contou com a participação de representantes dos diversos segmentos relacionados ao bem cultural.
Desde o princípio, a implantação do projeto foi acompanhada pelo Iphan e, principalmente, pelo comitê gestor da salvaguarda deste bem cultural, de forma que as ações desenvolvidas ocorram de forma articulada com os objetivos de atuação da Política Nacional de Salvaguarda. É o que explica a presidente do Iphan, Kátia Bogéa. “Mais do que um equipamento cultural, o Centro deve ter características que dialogue diretamente com os instrumentos previstos na Política Nacional de Salvaguarda”.
Toda singularidade e contribuição do Frevo para a identidade nacional foi reconhecida pelo Iphan em 2007, ano que o ganhou o título de Patrimônio Cultural sendo inscrito no Livro de Registro das Formas de Expressão. Em 2012, recebeu da Organização das Nações Unidades para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) a titulação de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Frevo

Densamente enraizado em Recife e Olinda, no Estado de Pernambuco, o Frevo surgiu ainda no final do século XIX, em um momento de transição e efervescência social, num cenário de escravos recém-libertos, de capoeiras, da formação da classe trabalhadora, de bandas militares e suas rivalidades.
Produto desse contexto sócio histórico singular, o Frevo expressa um protesto político e uma crítica social em forma de música, de dança e de poesia, constituindo-se em símbolo de resistência da cultura pernambucana e em expressão significativa da diversidade cultural brasileira.
O Frevo é formado pela grande mescla de gêneros musicais, danças, capoeira e artesanato. É uma das mais ricas expressões da inventividade e capacidade de realização popular na cultura brasileira. Possui a capacidade de promover a criatividade humana e também o respeito à diversidade cultural.

Serviço:
Homenagem ao Centro de Referência Paço do Frevo
Data: 
09 de fevereiro de 2017, das 9h às 12h;
Local: Paço do Frevo – Praça do Arsenal da Marinha. S Nº Bairro do Recife – Recife (PE)


Iphan

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.