3º MOV – Festival de Cinema Universitário movimenta o São Luiz



Com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, através do Funcultura, o MOV chega à sua terceira edição tentando dar conta de uma lacuna: a exibição do cinema universitário. Buscando reconhecer e possibilitar o diálogo entre a produção universitária de diferentes países, o MOV – Festival Internacional de Cinema Universitário de Pernambuco exibirá, entre os dias 31 de janeiro (terça-feira) e 5 de fevereiro (domingo), cerca de 60 curtas e longas no Cinema São Luiz e no Parque Dona Lindu. Os ingressos terão o valor único de R$ 3, para as sessões no Cinema São Luiz. No Parque Dona Lindu, as exibições ao ar livre serão gratuitas.

Para a presente edição, o MOV recebeu mais de 600 propostas de filmes oriundas de 50 países, como África do Sul, Eslováquia, Israel e Finlândia, se consolidando como importante canal de diálogo entre o público e os filmes realizados no âmbito universitário mundialmente.
As sessões especiais deste ano ajustam o foco na militância estudantil, caso do longa de abertura do festival, “Ressurgentes: um filme de ação direta” (2014), de Dácia Ibiapina, com sessão na terça (31/01), às 19h, no Cinema São Luiz. Concebido a partir de depoimentos de estudantes e vídeos de confrontos com a polícia em manifestações, o documentário dá voz a uma geração de militantes brasilienses que, durante os anos de 2005 e 2013, partiu para a ação direta na luta por diferentes movimentos sociais.
Entre os destaques, ainda está uma sessão especial do documentário “Cabra marcado pra morrer” (1984), de Eduardo Coutinho, no sábado (04/01), às 20h15, no Cinema São Luiz. Originalmente uma produção conjunta entre o Centro Popular de Cultura (CPC) da União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Movimento de Cultura Popular do Recife (MCP), o filme, que narra a história de um líder camponês assassinado, foi interrompido após o golpe militar de 1964, só podendo ser retomado pelo cineasta 17 anos depois.
O 3º MOV também será marcado por uma parceria vinda d’além-mar. No sábado (04/01), às 19h, no Cinema São Luiz, serão exibidos curtas da conceituada mostra de documentários portuguesa DocLisboa. O recorte selecionado foi a competitiva Verdes Anos, dedicada a curtas do gênero realizados por jovens cineastas portugueses e estudantes universitários. Os grandes vencedores deste ano, “Pulse”, de Robin Petré, e “O Cabo do Mundo”, de Kate Saragaço-Gomes, constarão na sessão, assim como “Orizaba”, de Izabel Cordovil, e “Our skin”, de João Queiroga.
MOV INFANTIL - Pela primeira vez, o MOV se voltará para o público infantil com sessões ao ar livre no Parque Dona Lindu, no domingo de encerramento (05/02). Serão dois blocos de curtas: “As crianças e o mundo”, às 18h, e “Curtinhas animados”, às 19h. O primeiro destacará filmes como a animação pernambucana “A paz lunática”, dirigida por alunos da Escola Engenho, e o curta “Mbya Mirim”, do projeto Vídeo nas Aldeias, no qual crianças índias do povo Mbya Guarani, do Rio Grande do Sul, narram seu cotidiano. O segundo bloco será dedicado a animações internacionais que se utilizam de técnicas diversas, como stop motion e aquarela.
FORMAÇÃO - O MOV promoverá uma roda de diálogo sob o tema “O cinema universitário – Do processo ao produto”, no sábado (04/02), às 16h, no primeiro andar do Cinema São Luiz, com entrada franca. O debate focará na produção audiovisual universitária e de baixo orçamento, abarcando os desafios enfrentados pelos filmes da criação à busca por exibição. O festival ainda contará com duas oficinas de especialização, com inscrições já encerradas: “Introdução ao Roteiro Cinematográfico”, com Leo Falcão (de 30/01 a 03/02), e “Fotografia Digital e Câmeras DSRL”, com Annyela Rocha (de 30/01 a 02/02), ambas no Porto Mídia, no Bairro do Recife.
PREMIAÇÃO - O júri, indicado pela Comissão de Organização do festival, analisará os filmes exibidos segundo critérios de originalidade, desempenho e qualificações técnicas. Serão oferecidos os seguintes prêmios nas competitivas nacional e internacional: Melhor Filme, Melhor Criação de Atmosfera, Prêmio Novo Olhar e Prêmio Jogo de Cena, além do Prêmio Destaque Pernambucano. A grande novidade é que, além dos troféus, este ano os vencedores de cada uma das cinco categorias da competitiva brasileira receberão como prêmio o serviço de finalização em DCP de um filme à escolha das equipes.
ACESSIBILIDADE - Em sua terceira edição, o MOV aprofunda o compromisso com a acessibilidade. Toda a programação das mostras competitivas do festival será exibida com legenda para surdos e ensurdecidos.
HISTÓRICO - Concebido em 2014 pelos então estudantes Vinicius Gouveia, Txai Ferraz, Thais Vidal e Amanda Beça, o MOV nasceu do desejo de abrir e espaço e dar visibilidade à produção cinematográfica de universitários de diversas partes do mundo. Buscando reconhecer e possibilitar o diálogo entre a produção universitária de diferentes países, o festival promove junto ao público pernambucano o aspecto formador da atividade cinematográfica, seja para quem a realiza ou para quem a assiste. A realização é assinada pela Ponte Produções e Vini-V Produções e conta com incentivo do Funcultura, do Governo de Pernambuco.

Serviço 3ª MOV – Festival Internacional de Cinema Universitário de Pernambuco
Quando: de 31 de janeiro a 5 de fevereiro
Onde: Cinema São Luiz (31/01 a 04/01) e Parque Dona Lindu (05/02)
Ingressos: R$ 3 (preço único) no Cinema São Luiz e grátis no Parque Dona Lindu
Informações: (81) 3184-3157

Fundarpe

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.