Ministério da Transparência divulga curtas sobre corrupção no cotidiano dos brasileiros


“1 minuto contra a corrupção”. Esse foi o tema do concurso de curtas metragens realizado pela Unidade Regional do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) na Paraíba, em parceria com a Universidade Federal do Estado (UFPB). Ao todo, 22 vídeos foram inscritos. Após análise da comissão julgadora, três foram selecionados. Em comum, todos abordam a importância de se combater atitudes ilegais, presentes no cotidiano dos brasileiros, que costumam ser minimizadas ou culturalmente aceitas.

O primeiro curta traz o depoimento real de uma cadeirante, que tem sua rotina prejudicada em razão de pessoas que não respeitam as vagas de estacionamento para deficientes. O segundo traz a história fictícia de um rapaz que, após levar para casa um celular esquecido no ponto de ônibus, se arrepende e decide devolver o aparelho à dona. Já o terceiro vídeo mostra o diálogo entre um vendedor ambulante e um motorista. Enquanto reclamam da corrupção dos políticos, ambos agem de maneira desonesta durante a compra de uma garrafa de água.



Dia Internacional

O concurso de curtas fez parte das atividades alusivas ao Dia Internacional Contra a Corrupção, celebrado oficialmente no dia 9 de dezembro. Os vídeos foram avaliados pelo professor da UFPB João de Lima; o cineasta Wills Leal, da Academia Paraibana de Cinema (APC); e o auditor Walber Alexandre de Oliveira e Silva, da Regional do Ministério da Transparência. 

Os vencedores receberam tablets e bolsas de estudo para cursos de inglês e de fotografia. Os prêmios foram entregues em sessão especial do 11º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro. Na ocasião, também foi exibido o curta “Algo mais explícito”, do diretor Cavi Borges, e aberta uma roda de debates entre os organizadores do evento e representantes do Instituto Soma Brasil, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco-MPPB) e do Fórum Paraibano de Combate à Corrupção (Focco-PB).
Informações: Ministério da Transparência

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.