Avião militar russo com 92 pessoas a bordo cai no Mar Negro

Voo decolou de Sochi e perdeu contato com as torres de controle após 20 minutos. Não há sobreviventes; aeronave levava 84 passageiros e 8 tripulantes para a Síria.



Um avião militar russo com 92 pessoas a bordo caiu no mar Negro, logo após decolar do balneário de Sochi, no sudoeste da Rússia. O desaparecimento da aeronave e o encontro dos destroços do avião foram confirmados pelo Ministério da Defesa. O órgão informa que não há sobreviventes do desastre aéreo.

Equipes de emergência resgataram corpos e restos do avião; alguns foram encontrados a cerca de 1,5 km da costa. Barcos, helicópteros e drones ajudam nas buscas na região.

Segundo a agência France Presse, o presidente russo Vladimir Putin declarou luto nacional para esta segunda-feira.

A aeronave decolou às 5h20 no horário local, 0h20 no horário de Brasília, com destino à base aérea russa de Khmeimim, na Síria, e sumiu dos radares 20 minutos após a decolagem, ao fazer uma manobra sobre águas russas. O governo russo descarta ação terrorista como a causa do acidente e já investiga o que teria ocasionado a queda da aeronave.

O modelo da aeronave envolvida no acidente é um Tu-154, muito usado no transporte aéreo doméstico na Rússia. Fontes dos serviços de emergência indicaram que o Tu-154 procedia de Moscou e tinha feito escala no aeroporto de Sochi para reabastecer.

"Fragmentos do Tu-154 do Ministério da Defesa russo foram encontrados a 1,5 km da costa do mar Negro a uma profundidade de 50 a 70 metros", informou o Ministério da Defesa, segundo a rede britânica BBC.

A bordo do avião viajavam militares e integrantes do renomado coral e grupo de dança Alexandrov, do Exército russo, que participariam das comemorações de Ano Novo na base aérea síria de Khmeimim, em Latakia, onde a Rússia tem um agrupamento de aviões de guerra. Além dos integrantes do coral também estariam a bordo do voo nove profissionais de imprensa, oito soldados e dois funcionários civis. A BBC informa que Elizaveta Glinka, conhecida como Doutora Liza e diretora-executiva da instituição de caridade Fair Aid, estava no voo.

O presidente sírio, Bashar al-Assad, ofereceu neste domingo suas condolências a seu colega russo, Vladimir Putin. A agência de notícias oficial síria "Sana" informou que Assad enviou uma mensagem a Putin na qual expressou uma "grande tristeza" pelas mortes de "queridos amigos que estavam em caminho à Síria para compartilhar com os sírios sua alegria nas festas (natalinas) e pela vitória na cidade de Aleppo".

O líder destacou, além disso, que "Síria e Rússia são parceiros na luta contra o terrorismo e compartilham alegrias e dores", segundo a agência. Assad também apresentou seu pêsame às famílias e a todo o povo russo.

A Rússia intervém no conflito sírio a favor do governo de Damasco e desde 30 de setembro de 2015 realiza uma campanha de bombardeios no país árabe.

Informações: G1

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.