FestCine distribui prêmios e reconhece o talento de jovens do cinema pernambucano

Jan Ribeiro/Fundarpe

O 18º Festival de Curtas de Pernambuco (FestCine) chegou ao fim neste sábado (3) reverenciando a qualidade, o engajamento com questões  sociais, a busca pela novidade cinematográfica e o profissionalismo que marcam o atual momento do audiovisual  pernambucano.
Realizada pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secult e da Fundarpe, em parceria com a Prefeitura do Recife, a edição deste ano prestou homenagem à diretora Renata Pinheiro e ao professor e cineasta Paulo Cunha, sendo esta última realizada um pouco antes da cerimônia de premiação. “Estou honradíssimo, mas surpreso também porque, apesar de ter completado 60 anos, sempre me achei jovem demais para receber homenagens”, brincou Paulo, iniciando seu agradecimento.
Jan Ribeiro/Fundarpe

“Estou aqui mais por conta do futuro do que do passado, para que vocês segurem essa força de produzir audiovisual em Pernambuco, uma coisa antiga, uma magia que tá completando um século e que tá agora na mão de vocês”, comentou ainda, dirigindo-se aos jovens realizadores presentes. “Que toda a cadeia se fortaleça, não apenas a produção de filmes, mas a formação de novos públicos, as produtoras, os cineclubes, a pesquisa, todos os elos desse ‘ecossistema’ que funciona melhor em conjunto”, finalizou. 
FORMAÇÃO
Neste ano, as atividades de formação ganharam ainda mais relevância, em diálogo com questões urgentes para o audiovisual brasileiro e a própria política pública para o setor. Gerando reflexões sobre a cinematografia de diretoras e o questionamento de padrões de representação feminina, a jornalista e pesquisadora Carol Almeida facilitou a oficina Para além do teste Bechdel: representação da mulher no cinema, envolvendo 28 participantes.
“A força e a energia que a oficina trouxe prova o quanto esta é uma ação urgente. Falamos dessa força que a gente precisa colocar em cena, que é a força das mulheres do audiovisual. Espero que essa oficina tenha continuidade nas próximas edições e que o tema renda ainda muito debate”, manifestou Carol.
A cineasta e educadora Lia Letícia orientou o minicurso Videoarte em Ação, exibindo e discutindo obras de diversos artistas do gênero, contemplando vertentes como performance, intervenção urbana, videopoesia e videoinstalação. Os quinze alunos da oficina desenvolveram o filme Queda, um video-protesto contra a proposta de congelamento dos gastos federais em educação e que também ganhou a tela do São Luiz.
Além disso, em parceria com a Federação Pernambucana de Cineclubes, o FestCine promoveu o 4º Encontro de Cineclubes do estado, garantindo a participação de ativistas de diversas cidades. Os diálogos, importantes para o fortalecimento do cineclubismo, giraram em torno de temas como difusão audiovisual, acessibilidade, cinemas de rua e direito humano à comunicação.
POLÍTICAS PÚBLICAS

Para a coordenadora do festival e das políticas para o Audiovisual da Secult-PE, Milena Evangelista, “a qualidade técnica e o conteúdo urgente das obras premiadas revelam um momento vigoroso da nossa cadeia produtiva, com destaque para produções coletivas, surgidas a partir de formações na área e também os filmes dirigidos por mulheres realizadoras”.

Representando o Sistema Secult/Fundarpe, a Secretária Executiva Estadual de Cultura, Silvana Meireles, comemorou a maioridade do festival, destacando sua história como “exemplo de política pública bem sucedida, que não sofreu interrupções e até hoje mantém seu caráter”. Na ocasião, Silvana ressaltou também o compromisso da gestão em “ampliar conquistas do setor nos últimos anos e enfrentar gargalos que ainda resistem como a circulação dos filmes pernambucanos. Nesse sentido, estamos empenhados na estruturação de uma rede de cinemas de rua no estado, priorizando os cinemas públicos não só da região metropolitana do Recife, mas aqueles que resistem em outras regiões”.
ACESSIBILIDADE
Em mais uma edição, o público com deficiência também pôde vivenciar o festival. A sessão especial de curtas com acessibilidade comunicacional foi realizada em parceria com o Festival VerOuvindo e o Projeto Toda Palavra, atraindo dezenas de pessoas ao São Luiz no começo da noite de sábado (3).
Além disso, o Festival  VerOuvindo também premiou três filmes exibidos no FestCine. As obras ganharão o serviço de audiodescrição e serão exibidas na próxima edição do VerOuvindo.
PREMIAÇÃO

Confira os vencedores do 18º FestCine

MOSTRA COMPETITIVA DE FORMAÇÃO

Premiação no valor de R$ 1.250,00 para cada obra

FICÇÃO

- A Peleja do Guerreiro do Sapo Nu Contra a Indústria Demônia, com direção do Coletivo Ficcionalizar

DOCUMENTÁRIO

- Disforia Urbana, de Lucas Simões

MOSTRA COMPETITIVA GERAL

Primeiros lugares: R$ 3.500,00 / Segundos lugares: R$ 2.500,00 / Terceiros lugares: R$ 1.500,00

TROFÉU FERNANDO SPENCER

- Melhor Atriz: Clébia Souza, por Quarto de Alugar
- Melhor Ator: Sebastião Formiga, por Represa
- Melhor Som: Caio Lemoine e Lucas Caminha, por Catimbau
- Melhor Trilha Sonora: Juliano Holanda, por Painho e o Trem
- Melhor Direção de Arte: Séphora Silva, por Maria
- Melhor Produção: Alberto Rio, por Homens e Caranguejos
- Melhor Montagem: Paulo Sano, por Black Out
- Melhor Fotografia: Giovanna Pezzo, por Cheiro de Melancia
- Melhor Roteiro: Olímpio Costa e Maurício Nunes, por Ex-mágico
- Melhor Direção: Milena Times, por Represa

VIDEOCLIPE

1º lugar: Bodeado, de Ana Olívia Godoy
2º lugar: Banda Virgínia – Você calado é um poeta, de Cleyton Costa
3º lugar: Eu acredito há muito tempo, de Pedro Vitor Ferraz

EXPERIMENTAL
1º lugar: Translúcida, de Pedro Andrade

2º lugar: Ainda me sobra eu, de Taciano Valério
3º lugar: Intervenção, de Pedro Maia de Brito

ANIMAÇÃO

1º lugar: Ex-mágico, de Olímpio Costa e Maurício Nunes
2º lugar: A Noite das Cenouras Zumbia, de Gustavo Arruda
3º lugar: Lá Vem, de Chia Beloto, Marília Cantuária, Rui Mendonça, Guma Farias, Mateus Simon e Paulo Sano

DOCUMENTÁRIO

1º lugar: Abigail, de Isabel Penoni e Valentina Homem
2º lugar: Catimbau, de Lucas Caminha
3º lugar: FotogrÁFRICA, de Tila Chitunda
Menção Honrosa: Na missão com Kadu, de Aiano Bemfica, Kadu Freitas e Pedro Maia de Brito

FICÇÃO

1º lugar: Represa, de Milena Times
2º lugar: Homens e Caranguejos, de Paulo de Andrade
3º lugar: Rua Cuba, de Filipe Marcena
Menção Honrosa: Homens e Caranguejos, de Paulo de Andrade

ESPECIAL | JURI DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DOCUMENTÁRISTAS/PE

Na missão com Kadu, de Aiano Bemfica, Kadu Freitas e Pedro Maia de Brito
Menção Honrosa: FotogrÁFRICA, de Tila Chitunda

ESPECIAL | JURI DA FEDERAÇÃO PERNAMBUCANA DE CINECLUBES

- Black Out, de Adalmir José da Silva, Felipe Peres Calheiros, Francisco Mendes, Jocicleide Valdeci de Oliveira, Jocilene Valdeci de Oliveira, Martinho Mendes, Paulo Sano, Sérgio Santos
Menção Honrosa: Tarja Preta, de Márcio Farias

ESPECIAL | FESTIVAL VEROUVINDO

Premiação em serviços de audiodescrição
Catimbau, de Lucas Caminha
FotogrÁFRICA, de Tila Chitunda
Um brinde, de João Vigo

Fundarpe

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.