Pernambuco integra grupo de estudo sobre zika financiado por entidade da Inglaterra

O Fundo Newton no Brasil, uma iniciativa do governo britânico, lançou uma chamada para pesquisas sobre o vírus da zika. O valor destinado para o financiamento das propostas varia de £ 50 mil a £ 100 mil e é destinado para os estados de PernambucoAlagoasParaíba Ceará, além do Distrito Federal. O prazo para o envio dos projetos para submissão vai até  12 de setembro deste ano.


Dentro da questão da Síndrome Congênita doVírus da Zika, a chamada procura pesquisas inovadoras voltadas para o tratamento da arboviroses e o apoio a famílias dos pacientes. “Nossa intenção é fechar o ciclo. Já fizemos editais anteriores que trataram da epidemiologia como, por exemplo, o desenvolvimento de vacinas”, acrescentou o presidente da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia (Facepe), Abraham Sicsu..
Como a convocação é uma ação conjunta entre as fundações de amparos dos quatro estados, além do Distrito Federal, e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com o British Council, pesquisas britânicas também são bem-vindas. A chamada ainda vale para os estados que têm alguma instituição vinculada à Fiocruz.
“Não é só uma questão nacional, é um problema mundial. A Inglaterra se preocupa e quer entender melhor o vírus da zika. Trabalhar com equipes de vários estados só vai fortalecer essa luta. Nossa ideia é formar uma rede”, acredita.

Pernambuco segue como o estado que mais registra casos de crianças nascidas com microcefalia, malformação ligada ao vírus da zika. Desde 1º de agosto do ano passado até o último sábado (9), 2048 casos de microcefalia foram notificados no Estado.

Desse total, 918 atendem aos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a malformação congênita. O número de confirmações permanece em 369, mesma estatística divulgada na semana anterior e o de descartados em 1.172. Os demais ainda estão sob investigação.
Informações: G1

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.