Nação Zumbi comemorou em Garanhuns 20 anos do disco “Afrociberdelia”


A quinta noite do Festival de Inverno de Garanhuns teve muita emoção, hip hop e protesto com o grito mais repetido do fig " Fora Temer".Quem abriu a  noite foi o grupo "Loucos Nordestinos" que trouxe um repertório cheio de hip hop.
A segunda atração da noite , foi o cantor e compositor arcoverdense Clayton Barros lançava sua carreira solo, após passar pelo Cordel do Fogo Encantado e a Banda Os Sertões.
Batizado de " Primitivo -atemporal", o show passeou pela carreira do artista, relembrando o Cordel como " Chover" e " Flor da Saudade " que gravou com os Sertões. O repertório carregado de emoção e verdade emocionou o público levando muita gente as lágrimas.Di Melo trouxe ao fig o show "Imorrível" e falou sobre a importância de saber viver fazendo aquilo que nos dá alegria.


Comemorando os 20 anos do disco do lançamento do disco “Afrociberdelia” e os 50 anos de Chico Science, Nação Zumbi trouxe ao Festival de Inverno músicas que são verdadeiros clássicos do grupo como “Manguetown”, “Maracatu Atômico” e “Macô”, além de “Samba do Lado”, “O Encontro de Isaac Asimov com Santos Dumont no Céu” e “Criança de Domingo” do Felinni – uma das maiores influências do grupo.
Segundo e último álbum que Chico Science gravou com a Nação Zumbi, “Afrociberdelia” marca o encontro entre as músicas brasileira e africana, o rock, o rap e as revoluções digitais que deram nova cara ao mundo nos anos 1990. O público cantou em alto e bom som todas as músicas e esquentou o frio que fazia em Garanhuns.Hoje a noite , passam pelo palco principal Neander, Antúlio Madureira, Academia da Berlinda e Otto.
Amannda Oliveira

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.