Josildo Sá comemora 10 anos de Samba de latada com temporada na Sala de Reboco


Forró sambado, que se dança agarrado nas palhoças e terreiros Brasil afora. Forró de sanfona e metais, tocado na mistura do ritmo do baião e do xote, com a cadência do samba. Esse é o samba de latada, que o cantor e compositor Josildo Sá, nascido de Floresta e criado em Tacaratu, cidades pernambucanas do Sertão de Itaparica, vem revitalizando desde que se lançou artista, na capital Recife. 

Instigado, elétrico, aberto a diversos outros gêneros, Josildo é hoje uma das maiores referências da cena do forró nordestino, mas vai além. Porque, mantendo-se fiel às tradições do interior, ele também soube como ninguém dialogar com outras tendências e experimentar trocas com o frevo, o rock e até o hip hop, através de parcerias com outros artistas e que consolidaram ainda mais o seu perfil.

Para celebrar os 10 anos do Samba de Latada, nesta quinta (14), na Sala de Reboco, Josildo Sá continua a temporada que iniciou semana passada - com casa lotada - e seguirá por todo mês de janeiro. Desta vez, chama ao palco, como convidados, os ilustres Cezzinha, Petrúcio Amorim e Nádia Maia. 

O CD e DVD Samba de Latada foi lançado em 2006, com direção musical do saudoso Paulo Moura, que circulou com Josildo Sá por alguns palcos do país. Depois deste projeto inicial, Josildo fez deste gênero uma marca registrada do seu trabalho, experimentando diversas formações. No show desta quinta, ele é acompanhado pelo Quinteto Sala de Reboco, também uma referência de forró na capital pernambucana, conjunto que por diversas vezes acompanhou grandes nomes do forró nordestino.

O SHOW – A plateia pode se preparar para ouvir entoadas, xotes, baiões, arrasta-pé, todas nesse arranjo de um forró mais “sambado”. Josildo tem uma pá de boas composições próprias. Escutem com atenção Triângulo das Birocas, o baião Cumbe (ambas do primeiro CD, Virado num Paletó Veio), Coreto (do segundo disco, quando começa a flertar mais de perto com o samba de latada) e Na Água do Bebedouro (do CD Samba de Latada, que gravou com Paulo Moura). 

Além dessas composições próprias, o show inclui os clássicos que influenciaram sua criação. Músicas como Lamento Sertanejo (que sempre faz em homenagem a Dominguinhos), Forró de Mané Vito (Luiz Gonzaga e Zé Dantas) e Pra não morrer de tristeza(composição de João Silva, um dos mais importantes parceiros de Gonzaga). “Faço um apanhado da minha história, através das canções e de tudo que tem me influenciado na música, reverencio os grandes mestres da música nordestina e mostro também qual é a minha língua, o meu sotaque”, conta Josildo.

Serviço:

Josildo Sá – 10 anos de Samba de Latada
Participação especial de Nádia Maia, Cezzinha e Petrúcio Amorim
Onde: Sala de Reboco
Quando: Quinta (14)
Couvert: R$ 25,00 (mulher não paga até as 22h30, após esse horário, paga R$ 15,00)

ASCOM

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.