segunda-feira, 26 de março de 2012

Ministério da Justiça lança campanha " Não se engane" e anuncia mudança na classificação etária.

Não se engane
 O Ministério da Justiça lança, nesta segunda-feira (19/3), a campanha "Não se Engane", para alertar os pais sobre a influência que as obras audiovisuais podem ter na formação de crianças e informá-los sobre a classificação indicativa como uma forma de selecionar os programas aos quais os filhos podem assistir.


A campanha trará dois filmes de animação em toy art que serão veiculados por emissoras de TV públicas, privadas e em salas de cinema, além da internet. Os filmes tratam sobre os temas drogas e violência e mostram como as crianças tendem a repetir o que veem na televisão.  

Os critérios da classificação são estabelecidos a partir de pesquisas e de um amplo debate e tem como base a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente. 

Como funciona
As emissoras de TV enviam ao Ministério da Justiça sua autoclassificação, que pode ser aprovada ou não. Caso a autoclassificação esteja de acordo com os conteúdos exibidos é confirmada em até 60 dias. Do contrário, a obra é reclassificada. A concordância entre a classificação pedida pela emissora e a atribuída pelo ministério é superior a 90%. 

Entenda a Classificação

data/documents/storedDocuments/{334263AD-A534-4B0E-AD1D-363427828AB4}/{64A5A45F-269E-44D1-8FDB-2EFDC061A58E}/simbolos_classifcacao_indicativa.jpg 

Não são classificados noticiários, programas esportivos, eleitorais e de publicidade.
Durante a cerimônia de lançamento da campanha também será assinado o termo de cooperação Liberdade de Expressão, Educação para mídia, Comunicação e os Direitos da Criança e do Adolescente. 

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário